Ciência Política: o guia completo!

Você já ouviu falar em Ciência Política? É um dos cursos mais recentes do Brasil, que pretende formar profissionais capazes de compreender e analisar organizações, processos e sistemas políticos a fim de buscar o bem-estar social, cultural e organizacional.

Para quem gosta de Ciências Humanas, História, Filosofia, Sociologia e Geopolítica, a faculdade de Ciência Política é uma excelente escolha profissional. Se você ainda não sabe o que é o curso e como ele funciona, fique tranquilo! Separamos todas as informações para você neste guia completo. Vamos lá?

O que é Ciência Política?

Todos nós somos seres políticos. Atualmente, o conceito de política é associado aos partidos brasileiros, mas acontece que ele vai muito além disso. Por exemplo, qualquer relação que nós temos é política, pois é ela que visa o bom convívio entre as pessoas, sobretudo aquelas que apresentam pensamentos diferentes.

É a política, então, que fornece leis e normas — institucionais ou não — que permitem um convívio social agradável e benéfico a todos. Desde o início dos tempos, a política se fez presente na história da humanidade e, com a evolução, foi se aprimorando a fim de encontrar novas formas de criar uma sociedade justa e igualitária.

Assim, tornou-se fundamental estudar e desenvolver conceitos políticos que sustentam uma atuação ética e responsável, não só dos governantes, mas também da população como um todo. O estudo, então, reuniu conceitos da filosofia moral e política, economia, sociologia e história, compreendendo os diferentes tipos de Estado e as funções do governo.

Foi somente no século XIX que a Ciência Política se consolidou como uma possibilidade de carreira na sociedade moderna. Criada primordialmente por Herbert Baxter Adams, ela ficou conhecida como o estudo da política, seus sistemas, organizações e processos que permitem a manutenção de uma sociedade segura, justa e repleta de direitos civis.

Vale lembrar que no Brasil essa nova ciência só foi institucionalizada na metade dos anos 1960, tendo como suporte da Revista Brasileira de Estudos Políticos, editada pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Anos depois, o curso acadêmico foi criado, permitindo que diversos profissionais se tornassem cientistas políticos ou politólogos.

E mais, a sua consolidação no território brasileiro se deu por meio da pós-graduação, apresentando a oportunidade de aprofundamento no conhecimento político para os profissionais formados em Ciências Sociais, História, Sociologia e Filosofia.

Com o passar do tempo e o crescimento das universidades públicas em relação à graduação, o curso de Ciência Política foi inserido em algumas universidades brasileiras. No entanto, esse movimento é muito recente e ainda tem muito o que crescer, visto que são poucas as universidades que o oferecem como graduação.

Curso de Ciência Política

E então, o que é o curso de Ciência Política e o que ele fornece aos alunos? A Ciência Política vai muito além do conhecimento teórico e metodológico do poder público, ela se dedica a estudar todos os processos políticos relacionados ao poder e os processos decisórios, envolvendo misturas de interesses, desenvolvimento econômico de um país ou empresa e o bem-estar social.

Assim, o curso forma profissionais capazes de realizar profundas análises políticas dentro de uma sociedade, medir o sucesso de um governo, observando a justiça, paz, estabilidade e riqueza pública. Isso tem um grande objetivo: pensar em novas propostas políticas que auxiliem o desenvolvimento de uma vida saudável e com menos conflitos de interesses.

É por isso que o curso de Ciência Política faz parte das Ciências Humanas, relacionando-se com História, Sociologia, Filosofia e Geografia e Políticas Públicas. Assim, ele apresenta um corpo teórico intenso, sendo necessário estudar bastante a cada semestre.

Como comentamos no início do artigo, o curso é bem recente no Brasil, estando presente em poucas universidades federais, como a Universidade de Brasília (UnB) — falaremos mais sobre ela nos próximos tópicos!

Ainda que com pouca oferta pública, o curso pode ser realizado a distância em faculdades particulares que, por sua vez, apresentam diversos sistemas de ingresso e bolsa de estudos para seus futuros alunos.

A seguir, separamos as principais informações que você precisa saber em relação ao curso de Ciência Política para perceber se ele realmente condiz com a sua escolha profissional. Confira!

Duração do curso

Você lembra que comentamos sobre a implementação das Ciências Políticas no Brasil? Pois é, o seu início se deu por meio da pós-graduação voltada a outras profissões, como Ciência Social. Assim, ainda não tem um consenso único em relação a duração do curso, embora a sua modalidade seja exclusivamente bacharelado.

Em outras palavras, existem universidades públicas que disponibilizam o curso com oito semestres, ao mesmo tempo que tem faculdades privadas que o oferecem com dez semestres.

Essa variação depende muito da grade curricular de cada curso e das orientações e diretrizes da própria instituição de ensino. Por isso, a nossa dica é ficar de olho nas universidades e identificar aquela que apresenta a melhor oferta para você, isto é, aquela que combina com a sua rotina e estilo de vida.

Vale lembrar, ainda, que o curso também depende da sua dedicação. Contudo, o que isso quer dizer? Na verdade, se você reprovar em alguma matéria ou deixar de realizar algum semestre, com certeza demorará mais tempo para se formar, visto que será preciso repor o que não foi realizado.

Estágio: Ciência Política

Outro ponto importante de ser observado na hora de decidir se Ciência Política é o curso para você é o estágio. Afinal, é por meio dele que você conseguirá ter uma aproximação real com o campo de atuação antes mesmo de estar formado, visualizando as diferentes formas de trabalho na área.

Via de regra, as instituições não exigem o cumprimento de um período obrigatório de estágio. No entanto, é sempre recomendado se experimentar como cientista político antes de se tornar um, para conhecer na pele como é a profissão, percebendo se esse universo ocupacional é satisfatório.

Assim, você pode — e deve! — procurar estágios não obrigatórios e realizá-los como um período extracurricular, buscando vagas em plataformas como Sine, Catho e NUBE (Núcleo Brasileiro de Estágios), além de estar atento às oportunidades no serviço público, principalmente o programa Novos Valores.

E mais, é possível enviar o seu currículo para empresas que trabalham com Ciências Sociais e Economia, pois são campos em que o olhar do cientista político é muito bem-vindo e, principalmente, desejado pelos líderes organizacionais.

Ciência Política: salário

Escolher uma profissão não é tarefa fácil, é preciso considerar muitas variáveis até encontrar o curso ideal para você. Uma delas é o salário, afinal, é ele que trará o reconhecimento financeiro que você está esperando.

A Ciência Política ainda não apresenta um piso salarial, fazendo com que o salário-mínimo varie de acordo com o cargo que você ocupa, bem como com o nível de especialização que você apresenta e a região em que você trabalha.

De maneira geral, o cientista político recebe entre R$ 3.000,00 e R$ 5.000,00 por mês, sobretudo aquele que já tem um pouco mais de experiência, com, pelo menos, três anos de atuação no mercado.

Ciência Política: faculdades

Quando a Ciência Política começou a ser considerada uma profissão, ela andava de mãos dadas com a Ciência Social, visto que é um ramo em que os profissionais da área trabalhavam. No entanto, com a aprimoramento dos conceitos políticos, houve uma necessidade de desenvolver cursos específicos para os estudos de sistemas e processos desse campo.

Assim, os estudos de Ciência Política foram se desenvolvendo, promovendo uma ampliação da rede de ensino referentes às relações políticas estabelecidas em um município, estado, país ou empresa.

Hoje, existem algumas universidades públicas no Brasil que apresentam a graduação em Ciência Política, assim como outras faculdades que disponibilizam uma excelente pós-graduação na área para aqueles profissionais que desejam aprimorar suas formas de trabalho.

Vale lembrar que cada universidade apresenta um enfoque distinto, visto que o curso é muito amplo e possibilita muitas oportunidades de trabalho para quem acabou de sair da faculdade.

Por exemplo, existem instituições que optam por montar um currículo voltado para a economia política, principalmente na pós-graduação, desenvolvendo uma grade curricular que oferece disciplinas como Direito e Políticas Públicas, Economia e Sociologia.

Da mesma maneira, existem faculdades que criam uma grade curricular voltada para o aprofundamento nas relações internacionais, estudando sobre os sistemas políticos de outros países, bem como a relação que eles apresentam com a sua nação de origem.

Então, quais são as universidades que apresentam o curso no Brasil? Abaixo, você pode conferir as principais faculdades de Ciência Política e escolher a sua favorita.

Ciência Política: USP

O Departamento de Ciência Política da USP é voltado para o planejamento e oferecimento de cursos de pós-graduação para profissionais formados em Ciências Sociais e outros cursos das Humanas.

Acontece que de alguns anos para cá, eles se alinharam ao curso de Ciências Sociais, disponibilizando diversas disciplinas voltadas ao estudo da política no Brasil e no mundo. Assim, não existe uma graduação em Ciência Política na USP, o que ocorre é o aprofundamento nos sistemas, processos e relações políticas no curso de Ciências Sociais.

No entanto, não podemos descartar a informação de que a pós-graduação da USP é uma das mais reconhecidas no Brasil, tendo em vista a relevância que a universidade tem, tanto em questões acadêmicas — como as pesquisas científicas — quanto em aspectos práticos, da atuação do profissional no campo propriamente dito.

Ciência Política: UFMG

Assim como a USP, a Universidade Federal de Minas Gerais também apresenta somente a pós-graduação em Ciência Política, sendo uma das grandes referências no país. Hoje, o departamento da UFMG referente ao estudo da política oferece aos profissionais excelentes ramos de pesquisa e investigação.

Assim, os alunos que se interessam por temas políticos podem — e devem! — investir em uma pós-graduação de qualidade, visto que essa experiência aprimora o conhecimento profissional, além de abrir mais oportunidades em qualquer âmbito ocupacional.

É com base nessa perspectiva que a UFMG desenvolveu seus cursos de pós-graduação pautadas em objetivos bem definidos, como:

  • estimular a realização de pesquisas nacionais;
  • produzir conhecimento inovador e relevante para toda a população brasileira;
  • aprofundar os conhecimentos da Ciência Política no Brasil;
  • promover a cooperação acadêmica, seja ela nacional ou internacional;
  • fortalecer os programas de pós-graduação em Ciência Política em todo o Brasil;
  • promover uma educação igualitária, justa e de qualidade na UFMG;
  • fortalecer os princípios éticos de pesquisa e investigação dentro da Ciência Política.

Ciência Política: UnB

Você lembra que comentamos que a Universidade de Brasília (UnB) é uma das únicas que apresentam o curso de graduação em Ciência Política? Pois é, diferenciando-se da faculdade de Ciências Sociais, ele foi criado em 1989 e se tornou a graduação mais relevante do país em termos de conhecimento político.

É importante ter em mente que Brasília é um dos únicos lugares que apresentam o curso justamente por ser o berço da política brasileira. Afinal, todo o nosso sistema legislativo, judiciário e executivo encontram-se nessa cidade. Daí a importância de ter uma faculdade de qualidade voltado ao estudo da política na capital brasileira.

Assim, os alunos podem realizar com mais facilidade uma investigação empírica, apresentam mais possibilidades de estagiar nos serviços públicos federais e, por consequência, você tem mais oportunidades no mercado de trabalho — principalmente se quiser seguir a carreira nos órgãos públicos.

Vale lembrar, também, que o curso de Ciência Política da UnB preconiza a interdisciplinaridade, justamente para estimular os estudantes a entenderem diferentes pontos de vista e conviverem com mais facilidade com pessoas de ideologias distintas.

Em outras palavras, se você optar por seguir essa faculdade, terá aula com turmas de diferentes cursos, como Sociologia, História, Filosofia, Matemática, Economia e, é claro, Ciências Sociais.

Por fim, é fundamental você saber que não é obrigatório a realização de estágio — ainda que Brasília seja a cidade perfeita para você começar a sua carreira de politólogo antes de se formar.

Isso quer dizer que a universidade estimula a realização de um período para conhecer e aprimorar seu conhecimento, mas se você não quiser, ou não tiver disponibilidade, conseguirá se formar mesmo assim.

Ciência Política: EAD

Não é nenhum mistério que a tecnologia ganhou o seu espaço na educação. Cada vez mais instituições de ensino investem em cursos a distância para democratizar o acesso ao conhecimento, permitindo aos alunos uma relação de ensino-aprendizagem muito mais completa.

Você concorda que não tem nada mais justo do que disponibilizar o curso de Ciência Política de forma virtual? Afinal, ela se refere ao estudo de estratégias eficientes de melhorias sociais, incluindo a educação.

Hoje, você pode realizar o curso de Ciência Política EAD, conquistando horários mais flexíveis, uma rotina mais leve e adaptada ao seu estilo de vida, tudo isso sem perder a qualidade de ensino que se espera de uma graduação.

Ciência Política: nota de corte

Você lembra que comentamos sobre as diversas variáveis que interferem no processo decisório em relação a sua futura profissão? Pois é, outro dado que você precisa estar atento é a nota de corte. Isso porque é ela que orientará toda o seu planejamento de estudo para o vestibular.

Vamos pensar juntos: se você não sabe quanto deve tirar na grande prova, como que você estudará com qualidade e segurança? Conhecer a nota de corte do seu curso em potencial é um passo importante para saber onde você quer chegar.

Acontece que, como você já deve ter percebido, a graduação em Ciência Política é escassa no Brasil, fazendo com que a Universidade de Brasília seja a única que oferece o curso gratuitamente para toda a população.

E, então, qual é a pontuação mínima para ingressar no curso de Ciência Política da UnB? Para entrar, você precisa tirar pelo menos 518,15 na prova, de acordo com os dados do Sisu.

Ciência Política: grade curricular

Você sabia que conhecer as disciplinas do seu futuro curso também é um passo importante para decidir segui-lo ou não? Quando você se visualiza estudando determinada matéria e discutindo com seus colegas sobre os temas das aulas, se torna muito mais fácil perceber se esse é o caminho profissional certo a ser trilhado.

É por isso que nós listamos abaixo a grade curricular de Ciência Política para você observar se estudar sobre isso será prazeroso para você. Vamos lá?

  • Pensamento Social e Político Brasileiro;
  • Sociologia;
  • Introdução à Ciência Política;
  • Estudo em Segurança Internacional;
  • Antropologia;
  • Estatística;
  • Relações Internacionais;
  • Direito;
  • Estado Moderno e Contemporâneo;
  • Políticas Públicas;
  • Urbanização, Desenvolvimento e Meio Ambiente;
  • Direito Constitucional e Direitos Humanos;
  • Relações Públicas e Internacionais;
  • Política Externa;
  • História Política comparada da América Latina;
  • Comunicação e Linguagem;
  • Associações e Democracia;
  • Teoria da Democracia;
  • Língua Portuguesa;
  • Política Externa Brasileira;
  • Filosofia clássica e contemporânea;
  • Temas do Pensamento Político Latino-Americano;
  • Formação Econômica do Brasil;
  • Teoria Política Clássica;
  • Processo e Atores na Política Internacional Contemporânea;
  • Bases Teóricas da Ciência Social;
  • Valores Políticos;
  • Economia;
  • Métodos Quantitativos em Ciência Política;
  • Antropologia da Política.

É importante lembrar, ainda, que as disciplinas citadas podem variar de acordo com cada instituição, principalmente nas universidades privadas. Isso acontece porque cada faculdade apresenta um enfoque distinto, podendo trabalhar mais questões relacionadas as políticas públicas, economia ou políticas organizacionais.

Mestrado: Ciência Política

A pós-graduação faz parte da história da Ciência Política no Brasil. Sem ela, a graduação dificilmente surgiria e poucas pessoas teriam acesso ao curso. É por isso que o mestrado é tão valorizado para os cientistas políticos, tendo em vista a relevância que ele tem para a consolidação dessa atuação enquanto ciência e profissão.

Além disso, investir em uma especialização é uma das melhores formas para conseguir criar uma carreira de sucesso e se destacar no mercado de trabalho, encontrando novas oportunidades, além de inovar as práticas da sua profissão.

Hoje existem muitas instituições — públicas e privadas — que oferecem o mestrado em Ciência Política, sendo que todos permitem que você escolha aquela área que mais se alinha com a sua carreira.

O profissional de Ciência Política

Até agora, nós falamos muito sobre o que é Ciência Política, como acontece seu curso e quais são as melhores universidades para realizá-lo. Porém, afinal, o que faz um profissional de Ciência Política? Da mesma maneira que a faculdade é ampla, as áreas de atuação também são.

Por exemplo, ao mesmo tempo que você pode prestar um concurso público e trabalhar em algum órgão do governo, também é possível seguir uma carreira empresarial, atuando em organizações com o objetivo de transformar as relações políticas que acontecem dentro da empresa.

Além disso, você pode seguir carreira autônoma e atuar como consultor — principalmente depois de alguns anos de experiência —, encontrando novas formas de se relacionar com a sua profissão, bem como de encontrar destaque no mercado de trabalho.

Se o campo prático não é interessante para você, é possível investir na sua carreira acadêmica, desenvolvendo projetos de intervenção, pesquisas científicas e, até, se tornar um grande professor em uma universidade renomada.

Perfil do cientista político

Quando falamos em ser cientista político, é fundamental pensar em algumas características que esse profissional deve desenvolver, tendo em vista o campo de atuação que ele está inserido. Contudo, o que isso realmente quer dizer?

Um bom profissional formado em Ciência Política precisa saber se comunicar, estar aberto a ouvir o outro, entender diferentes pontos de vista, conhecer a interdisciplinaridade e identificar as diversas realidades que várias populações estão inseridas.

Assim, o perfil do cientista político nada mais é do que aquele trabalhador que visa a melhora da sociedade como um todo, não tem medo de desenvolver novas políticas públicas, busca assegurar a igualdade entre duas partes de um processo e se entrega aos estudos e investigação sobre a situação política, econômica e cultural do mundo.

Mercado de trabalho

Não podemos negar: o mercado de trabalho está demandando profissionais formados em Ciência Política. O cenário brasileiro apresenta diversas nuances e precisa ser visto com cautela para que decisões efetivas sejam tomadas, e quem é capaz de observar a grande figura e perceber o que precisa ser feito para melhorar determinada situação é o cientista político.

Assim, muitas empresas e órgãos públicos estão à procura de bons politólogos, que garantam qualidade no trabalho, bem como uma comunicação eficiente, conhecimento aprimorado e com bons contatos profissionais, para ampliar a rede de atuação dessas instituições.

Você percebe como a Ciência Política ainda tem muito campo livre de atuação? Com um mercado nada saturado, muitas empresas e órgãos públicos buscam cientistas políticos que apresentam competências e habilidades suficientes para desempenharem bem a sua função, garantindo aquele tão sonhado reconhecimento profissional.

E aí, acha que o curso de Ciência Político foi criado para você? Lembre-se de que para entrar na graduação é preciso tirar uma boa nota do vestibular. Aproveite para conferir nosso plano de estudo e monte um planejamento eficiente para você!