Dermatologia: o guia completo!

Você sabe o que é Dermatologia? Muito buscada pelos vestibulandos, essa profissão conquista uma forte relevância no mercado em função da alta procura da população pela saúde da pele. Acontece que, para se tornar um dermatologista, é necessário estar formado em Medicina e, portanto, passar em um dos vestibulares mais concorridos do Brasil.

Ainda que o caminho seja difícil, a recompensa é muito satisfatória. Para quem gosta dos cuidados com a pele, com certeza essa profissão é uma excelente forma de alinhar seus desejos com uma carreira rentável.

Se você ainda não sabe como funciona o curso de Dermatologia e sua importância no mercado de trabalho, continue lendo nosso artigo. Separamos todas as informações sobre essa profissão que encanta cada vez mais a população brasileira. Boa leitura!

O que é Dermatologia?

Antes mesmo de compreender o curso e conhecer suas principais disciplinas, é preciso entender o que é Dermatologia. Como comentamos, ela é uma especialidade médica no qual sua atuação é voltada para a produção de diagnóstico, bem como propostas de prevenção e tratamentos de qualquer situação relacionada à pele.

Nesse sentido, para poder ser um dermatologista é necessário concluir a graduação em Medicina, dedicar-se de três a quatro anos à residência para, então, conquistar o título. Ainda, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB) também exige a realização de uma prova para que você possa atuar legalmente na área.

Bom, reconhecida como uma ciência das áreas médicas e biológicas, a Dermatologia se divide em diversas frentes para englobar o máximo de locais de atuação, como:

  • Dermatologia clínica: voltada para atender pacientes em consultório privado ou em hospitais;
  • Dermatologia cirúrgica: focada nos atendimentos de lesões cutâneas, trabalhando com cirurgias convencionais, eletrocirurgia, quimiocirurgia e laserterapia;
  • Dermatologia estética: voltada para atender pacientes que buscam procedimentos estéticos, normalmente acontece em consultório privado;
  • Tricologia: área que estuda as doenças da região capilar;
  • Onicologia: focada nas doenças que acometem as unhas;
  • Estomatologia: voltada para o atendimento de pacientes com doenças na cavidade bucal;
  • Dermatologia laboratorial: estudo de práticas no laboratório que contribuem para a produção de um diagnóstico e prognóstico mais fidedigno, bem como suas confirmações.

História da Dermatologia

A Europa foi o berço do desenvolvimento de muitas ciências. A Dermatologia moderna começou a ser implementada entre os séculos XV e XVI em diversos países europeus, com estudos ainda muito fracos acerca das doenças de pele. Foi somente a partir dos conhecimentos da microbiologia que a área se tornou uma especialidade da Medicina.

Assim, por volta do final do século XIX e início do século XX, os estudos foram potencializados e consolidaram a Dermatologia enquanto uma ciência e profissão, destacando os médicos dessa carreira. Isso só foi possível em função da evolução da tecnologia que permitiu o acompanhamento minucioso dos tecidos da cútis.

Se já no início do século XX essa ciência estava ganhando força, hoje ela colhe os frutos das escolhas e desafios que enfrentou. No cenário mundial, a Dermatologia ganhou notoriedade não só em termos quantitativos, isto é, aumentando suas formas de trabalho, mas também em aspectos qualitativos.

Nesse sentido, houve uma grande ampliação em relação às formas de trabalho, bem como os campos possíveis de atuação. Isso fez com que todos os pacientes fossem beneficiados com as inovações terapêuticas resultantes da ciência acadêmica.

No Brasil, a profissão foi regulamentada em 1882, quando foi inaugurado o Serviço Clínico de Doenças de Pele, na Policlínica Geral do Rio de Janeiro. Com o passar do tempo, os profissionais foram se organizando e fundaram a Sociedade Brasileira de Dermatologia — que falaremos mais sobre ela nos próximos tópicos.

Curso de Dermatologia

dermatologia

Agora que você já sabe o que é Dermatologia, está na hora de compreender como acontece o curso. Para quem está estudando para o vestibular, não é nenhum mistério que Medicina é uma das graduações mais concorridas no Brasil e em outros países também.

Por ter um grande reconhecimento no mercado, muitos estudantes buscam essa profissão para conquistar uma boa qualidade de vida e auxiliar os próximos por meio de atendimentos clínicos — tanto preventivos quanto na resolução de crises. Não custa lembrar que o diploma de Medicina e, portanto, de Dermatologia só será validado se for emitido por uma universidade reconhecida pelo MEC (Ministério da Educação).

O curso de Medicina, então, é dividido em duas etapas: a graduação, que dura seis anos, e a residência, que demanda pelo menos dois anos de dedicação. No primeiro momento, você precisa conhecer os fundamentos teóricos da profissão, como as disciplinas básicas de anatomia, bioquímica, imunologia e patologia.

Assim que concluir as disciplinas, você pode começar a atuar como clínico geral, atendendo nos postos de saúde, hospitais ou clínicas privadas. Acontece que para se tornar dermatologista, é necessário a realização da residência com o intuito de fortalecer a sua prática e confirmar a sua aptidão à profissão.

Nesse sentido, o curso de Dermatologia é, na verdade, uma especialização para quem já é médico — mas isso você já sabia, né? Por isso, se você pretende seguir essa área, tenha em mente que precisará se dedicar bastante, como qualquer ocupação médica, ok?

Duração do curso

Indo um pouco mais além sobre como acontece o curso de Dermatologia, a sua duração depende da instituição de ensino que você escolheu. De acordo com o MEC as graduações em Medicina precisam apresentar 12 semestres de estudo integral, ou seja, seis anos estudando nos três períodos do dia.

Acontece que a duração da residência é definida de acordo com a instituição e com o seu desejo de aprender mais. O período mínimo determinado pelo MEC é de dois anos, mas existem especializações que demandam mais, e esse é o caso da Dermatologia.

Comentamos no início do artigo que é necessário realizar entre três e quatro anos de residência, alinhada a uma especialização a parte, para garantir o seu título de profissional qualificado para atuar no campo. Em outras palavras, além desses anos, você deve investir em uma pós-graduação para garantir mais reconhecimento no mercado.

Estágio em Dermatologia

Você sabia que uma excelente forma de garantir um conhecimento aprofundado sobre a sua profissão é realizando um estágio? Afinal, você se exime de algumas responsabilidades e se coloca em um ambiente no qual é possível errar sem ter prejuízos legais.

É claro que é necessário ter um atendimento ético e coerente com os valores e princípios da instituição na qual você está atuando, mas é uma postura diferente de trabalho. Por isso, muitas universidades demandam a realização de períodos obrigatórios de estágio, estimulando os alunos a entrarem em contato com o campo real da profissão.

Assim, se torna muito mais fácil alinhar a teoria com a prática, experimentando várias áreas da sua futura carreira e garantindo uma aprendizagem de qualidade. Isso faz com que você se torne um profissional mais qualificado no futuro, além de fortalecer sua rede de contatos e abrir oportunidades no mercado.

Afinal, é necessário cumprir o estágio para ser dermatologista? O curso de Medicina exige pelo menos 30% da carga horária dedicada ao estágio, sendo que parte dele precisa ser cumprida no Sistema Único de Saúde (SUS), na atenção básica e nas unidades de urgência e emergência.

Nesse sentido, se você pretende ser dermatologista, com certeza deverá realizar um grande período de estágio na graduação. Além disso, a residência por si só é caracterizada como um bom período de aprendizado prático, tendo em vista que você não faz nenhuma disciplina durante a especialização.

Faculdade de Dermatologia

Até agora, você já conheceu o que é Dermatologia e como acontece o seu curso. Porém, onde você pode realizá-lo? Existem muitas instituições de ensino reconhecidas pelo MEC — públicas e privadas — que oferecem uma especialização de qualidade na área. No entanto, listamos abaixo as universidades federais que tem o curso de Medicina bem reconhecido, além da residência em Dermatologia.

Indo um pouco mais além, selecionamos as principais faculdades de Medicina que são bem reconhecidas nacionalmente, tanto públicas quanto privadas para você ampliar suas possibilidades de escolha. Confira!

  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
  • Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP);
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP);
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR);
  • Universidade de Brasília (UNB);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC).

Dermatologia: nota de corte

Você já parou para pensar que uma das principais informações que você precisa ter sobre a sua futura profissão é a nota de corte? Afinal, sem conhecer esse valor, será muito difícil montar um planejamento de estudos eficiente para passar no vestibular, sobretudo o de Medicina.

Pensando nisso, nós listamos a seguir as dez maiores notas de corte de Medicina e, por consequência, de Dermatologia, de acordo com o Sisu para você ficar de olho e começar a organizar os seus estudos.

  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte, campus de Caicó, turno integral — 883.0;
  • Universidade Federal do Pará, campus Instituto de Ciências da Saúde, turno integral — 873.0;
  • Universidade Federal de Pernambuco, campus do Agreste Caruaru, turno integral — 841.0;
  • Universidade Federal de Alagoas, Campus Arapiraca, turno integral — 829.0;
  • Universidade de São Paulo, campus Faculdade de Medicina, turno integral — 819.0;
  • Universidade de Brasília, campus Darcy Ribeiro, turno integral — 815.0;
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro, campus Cidade Universitária, turno integral — 807.0;
  • Universidade Federal do Paraná, campus Centro, turno integral — 806.0;
  • Universidade Federal de Santa Catarina, campus João David Ferreira Lima, turno integral — 804.0;
  • Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, campus Cidade Universitária, turno integral — 800.0.

Vale lembrar que você também deverá realizar uma prova ao final do curso para entrar na residência de Dermatologia e, por isso, ela também apresenta uma nota de corte. Por exemplo, na USP você precisa tirar pelo menos 6,40 pontos na avaliação para poder receber o título de dermatologista depois de formado.

Dermatologia: grade curricular

Não é nenhuma novidade que o curso de Dermatologia nada mais é do que a especialização na área médica, não é mesmo? Por isso, não há nenhuma disciplina específica sobre esse campo durante a sua qualificação. Acontece que, ao longo do curso de Medicina, você entra em contato com diversas matérias sobre os estudos dermatológicos.

Afinal, é por meio dessas disciplinas que você conseguirá identificar se Dermatologia é realmente a profissão certa para você. A seguir, separamos para você as principais matérias oferecidas no curso todo. Aproveite para imaginar como seria estudar cada uma dessas disciplinas, ok?

  • Anatomia cutânea;
  • Ginecologia e Obstetrícia;
  • Psiquiatria;
  • Oncologia Básica;
  • Fisiologia;
  • Aspectos Legais da Prática Médica;
  • Bases Moleculares dos Sistemas Orgânicos;
  • Sistemas Orgânicos Integrados;
  • Microbiologia;
  • Patologia Cutânea;
  • Parasitologia Médica;
  • Biologia;
  • Imagenologia
  • Aspectos Legais da Prática Médica;
  • Propedêutica Médica;
  • Infectologia;
  • Saúde Mental;
  • Alergologia Básica;
  • Imunologia;
  • Saúde da Criança e do Adolescente;
  • Clínica Cirúrgica;
  • Psicologia Médica;
  • Saúde do Idoso;
  • Clínica Médica;
  • Epidemiologia;
  • Saúde da Mulher;
  • Doenças Infecciosas e Parasitárias;
  • Emergências Médicas.

É importante você ter em mente que as universidades demandam a produção de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), normalmente em conjunto com um relatório de estágio ao final da graduação. Somente depois de entregá-los que você consegue o diploma de clínico geral.

No caso da residência, o procedimento é muito parecido. Também é preciso produzir um TCC da sua área, podendo ser de diferentes formas: monografia, seminários em congressos, artigos publicados em revistas qualificadas, entre outros. Lembre-se de que o formato do seu trabalho é determinado pela sua universidade.

O profissional de Dermatologia

dermatologia

Você já imaginava que a Dermatologia apresenta um cenário bem amplo de trabalho? Pois é, normalmente temos a impressão de que esses médicos atuam somente nos consultórios clínicos em atendimentos fechados, mas não é bem assim. Ainda que a grande maioria opte por seguir essa carreira, existem diversas possibilidades de ocupação.

Por exemplo, é possível trabalhar nos hospitais, pronto atendimento, postos de saúde e todas as unidades previstas pelo SUS. Além disso, você pode investir na Dermatologia Estética e trabalhar em clínicas especializadas em atendimentos de beleza, acupuntura e procedimentos não invasivos.

Assim, você atuará no diagnóstico, tratamento e prevenção não só de doenças de pele, como também de acne, alergias, vitiligo, psoríase, hanseníase, câncer de pele, queda de cabelo e problemas com as unhas, dependendo do seu ambiente de trabalho.

Perfil do dermatologista

Diante de todas essas informações, surge a grande dúvida: quais são as características necessárias para ser um bom profissional na área? Bom, quem escolhe Medicina precisa, necessariamente, gostar da Biologia e do contato humano. Afinal, é uma ocupação que lida diretamente com as pessoas, auxiliando-as a desenvolver uma qualidade de vida melhor.

Nesse sentido, também é necessário ter empatia pelos outros, compreender seus contextos culturais, econômicos e sociais para atendê-lo de forma mais humana e respeitosa. Para isso, você precisa ter uma boa estabilidade emocional e saber comunicar-se de maneira não violenta com as pessoas.

Indo um pouco mais além, outra habilidade fundamental para ser dermatologista é ter uma visão estratégica. Muitas vezes, os atendimentos demandam várias sessões e é necessário traçar metas para que haja efetividade nos tratamentos. Isso exige, além do conhecimento técnico, certa sagacidade frente ao problema apresentado.

Por fim, existem outras competências que devem ser desenvolvidas para que você desempenhe bem o seu trabalho. São elas:

  • atenção seletiva e rapidez de percepção;
  • tolerância;
  • altruísmo;
  • capacidade de lidar com situações adversas;
  • capacidade de trabalhar em equipe e com grupos multidisciplinares;
  • demonstrar empatia;
  • interpretação e da linguagem verbal e não-verbal;
  • saber liderar e de tomar decisões precisas;
  • ser imparcial nos julgamentos;
  • conseguir preservar sigilo médico;
  • saber escutar de forma qualificada.

Se você ainda não tem algumas dessas características, não se preocupe! São habilidades e competências desenvolvidas ao longo do curso e principalmente da residência, visto que necessitam da prática para serem assimiladas.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho da Dermatologia é repleto de oportunidades. Além de ter muitas vagas no serviço público para realizar a articulação entre as redes de saúde de maneira eficiente, há a possibilidade de montar o próprio consultório e trabalhar de forma autônoma.

É importante ter em mente, no entanto, que existem áreas da Dermatologia que fazem mais sucesso e apresentam uma demanda maior no mercado, como a estética. Ainda, algumas cidades apresentam uma saturação em comparação com outras, evidenciando a importância de uma especialização de qualidade.

Por exemplo, São Paulo, por ser uma cidade grande e referência no Brasil, apresenta muitos dermatologistas renomados. Para ganhar reconhecimento no mercado, você necessariamente precisa investir em cursos para aprimorar a sua prática e garantir o destaque, além de não deixar de lado o estudo continuado.

Nesse momento, surge outro desafio para os estudantes: qual especialização seguir. Para ajudá-lo a tomar essa decisão, listamos as áreas que são bem valorizadas dentro da Dermatologia para você analisar e escolher aquela que mais combina com a sua personalidade.

  • Dermatologia clínica e preventiva;
  • Onicologia, voltada para o diagnóstico e tratamento clínico de doenças da região ungueal;
  • Dermatologia cosmiátrica;
  • Dermatologia cirúrgica;
  • Dermatologia oncológica.

Quanto ganha um dermatologista?

Quando estamos escolhendo uma profissão, uma das dúvidas que pairam no ar é a remuneração. Além de ser feliz com o seu ofício, é fundamental ter o reconhecimento financeiro para manter-se ativo no trabalho, garantindo um serviço de qualidade para seus pacientes, independentemente da área de ocupação.

Como você já deve imaginar, a Medicina é um campo que oferece uma remuneração acima da média, tendo em vista a quantidade de estudo e dedicação que os médicos devem ter para conquistarem seus diplomas, assim como a complexidade do trabalho desempenhado.

Alinhado a isso, a Dermatologia é um campo muito requisitado no mercado, fazendo com que o salário seja naturalmente mais alto, sobretudo em regiões com menos profissionais especializados, como as cidades pequenas. E mais, o próprio Conselho Federal de Medicina aponta que qualquer médico deve receber pelo menos três salários-mínimos quando exerce 20 horas semanais.

A Federação Nacional dos Médicos (Fenam), por sua vez, recomenda que as instituições ofereçam o salário acima de R$ 14.000,00, mas nem todos os hospitais e clínicas conseguem arcar com essa sugestão. É por isso que muitos profissionais optam por seguir carreira autônoma.

No caso da Dermatologia, ela segue as mesmas obrigações legais que a Medicina, tendo em vista que ela é uma parte dessa ciência. No Brasil, a média salarial de alguém que trabalha 20 horas na semana fica entre R$ 4.500,00 e R$ 18.500, dependendo da cidade que você atua e o campo no qual você trabalha.

Vale lembrar que, quanto mais horas você trabalhar, mais alta a sua remuneração será. Além disso, o nível de experiência também contribui bastante para que o seu salário aumente. Nesse sentido, se você tem bastante vivência, realizou vários cursos e mantém-se informado na área médica, com certeza terá um salário acima da média com pouco tempo de formado.

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Você lembra que no início deste artigo comentamos sobre a Sociedade Brasileira de Dermatologia? Pois é, sua história e contribuição para a área fez com que ela se tornasse a grande referência de ciência e profissão no Brasil. Hoje, ela é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), assim como pela Associação Médica Brasileira (AMB) por representar os dermatologistas no país.

Formada em 5 de fevereiro 1912, a SDB é a terceira sociedade médica mais antiga da nossa história, sendo que a sua data de fundação é comemorada como o dia nacional do dermatologista. Esse marco na história da Medicina fez com que a área ganhasse notoriedade no cenário internacional, fortalecendo a atuação dos profissionais.

Ela é responsável, portanto, pelas inovações dermatológicas no Brasil, ampliando os campos de trabalho de cada médico. Ainda, ela propõe e executa políticas de proteção ao dermatologista que fortalecem suas atividades e oferecem segurança para uma atuação ética e legal.

Ao longo deste artigo, você pôde perceber como a Dermatologia é uma ciência e profissão cheia de novidades e oportunidades para os médicos, tornando-se referência de inovação na Medicina. Lembre-se de que para realizar essa especialização é necessário estudar bastante para o vestibular e conquistar a sua vaga em um dos cursos mais concorridos do país.

E aí, acha que Dermatologia é o curso certo para você? Então, conheça o nosso plano de estudos para organizar a sua aprendizagem e mandar muito bem nas provas!