Engenharia florestal: o guia completo!

Escolher uma profissão é sempre um grande desafio. Determinar o seu futuro é um grande passo e precisa ser tomado com cuidado, não é mesmo? Para quem gosta de ter várias possibilidades no mercado de trabalho, além de lidar diariamente com ecologia e conservação do nosso ecossistema, a Engenharia Florestal se torna uma excelente possibilidade de graduação.

Assim, o curso ganha destaque e faz os olhos de muitos estudantes brilharem justamente por apresentar excelentes oportunidades profissionais, além de ser uma engenharia que não envolve somente cálculo, traz à tona diversas questões ambientais importantes a serem pensadas.

Se você gosta da área de Biologia, Geografia e Geologia, quem sabe a faculdade de Engenharia Florestal foi feita para você. Neste artigo, separamos todas as informações sobre essa graduação que cresce cada vez mais no Brasil. Boa leitura!

O que é engenharia Florestal?

Antes mesmo de compreender como acontece o curso, é necessário compreender o que é Engenharia Florestal para que você conheça os diversos campos de trabalho disponíveis e prontos para serem explorados. Assim, essa ciência se refere a um segmento da Engenharia que engloba os estudos da dinâmica das florestas e seus ecossistemas.

Dessa maneira, ela apresenta grande importância no cenário mundial, tendo em vista a relevância que as florestas apresentam para a manutenção da vida na Terra. Por isso, é uma graduação que está sendo cada vez mais buscada atualmente, principalmente em função do aquecimento global e outras situações que colocam os ecossistemas em risco.

Bom, como você pode perceber, a profissão de engenheiro florestal é muito ampla, permitindo o desenvolvimento de projetos de exploração dos recursos florestais de forma que não se tornem prejudiciais para o meio ambiente e, por consequência, reduzem os impactos ambientais.

Assim, essa ciência atua em conjunto com outras áreas do conhecimento — sobretudo as engenharias — para promover um trabalho de qualidade que não interfira na sobrevivência dos variados ecossistemas que compõem o nosso mundo.

Um dos maiores exemplos é a união dessa área com a Engenharia Civil e Engenharia Ambiental, fornecendo técnicas sustentáveis de construção para evitar os impactos ambientais e promover uma vida mais saudável para todos nós. Isso faz com que as construtoras diminuem o uso de recursos não renováveis para preservar o meio ambiente.

A história dessa área apresenta para nós um início desafiador. Quando ela foi criada, o seu intuito era pesquisar as possibilidades de usufruir da natureza para suprir a demanda de produção que o capitalismo começou a exigir. Com o passar do tempo, ela ganhou outra relevância e modificou o seu objetivo.

Agora, quem se forma em Engenharia Florestal também tem o intuito de pesquisar as melhores formas de utilizar os recursos naturais oriundos das florestas ou cultivos florestais, mas por meio de um manejo consciente do que o planeja tem a oferecer. Isso favorece não só as grandes empresas, fornecendo subsídio suficiente para a produção de lucro e economia, como também os ecossistemas.

Vale lembrar que no Brasil o curso foi desenvolvido somente na década de 1960, em Minas Gerais. No entanto, no final de 1963 a graduação foi transferida para Curitiba, cidade na qual ganhou mais notoriedade e hoje é referência nos estudos científicos da área.

Curso de engenharia Florestal

Agora que você já conhece a origem, o que é Engenharia Florestal e qual o seu objetivo, está na hora de entender como o curso funciona. Desenvolvido na modalidade bacharelado — uma graduação um pouco mais longa e aprofundada —, a faculdade faz parte das ciências agrárias e apresenta dois ciclos de aprendizagem: o básico e o específico.

No primeiro momento do curso, você aprenderá os fundamentos da ciência florestal, encontrando disciplinas relacionadas ao campo da Matemática, Física, Química, Biologia e Geologia. Mas não se preocupe, falaremos sobre a grade curricular mais adiante.

Já no segundo momento da faculdade de Engenharia Florestal, marcada pela metade do semestre, você começa a ter um contato um pouco mais aprofundado com as áreas de conhecimento específicas dessa profissão. Assim, você amplia o seu conhecimento acerca das formas de atuação no campo.

O curso de Engenharia Florestal, então, forma profissionais capazes de desenvolver uma consciência crítica diante das mudanças ambientais a fim de estimular o desenvolvimento de diretrizes e estratégias que vão de encontro com a exploração das florestas brasileiras.

Nesse sentido, você aprenderá sobre gestão e planejamento urbano, direito florestal e ambiental, bem como técnicas de recuperação de áreas degradadas, planos de exploração e conservação de reservas naturais e parques públicos.

Duração do curso

Você lembra que no tópico anterior comentamos que o curso de Engenharia Florestal é oferecido somente na modalidade de bacharelado? Pois é, isso faz com que a sua duração seja maior em comparação com cursos técnicos e tecnólogos, visto que o nível de aprofundamento é maior.

Nesse caso, o tempo base é composto por 10 semestres, ou seja, cinco anos de estudo. Vale lembrar, no entanto, que se você deixar de realizar alguma disciplina ou não for aprovado em matérias obrigatórias, provavelmente demorará mais do que cinco anos para se formar, ok?

Engenharia Florestal salário

Quando pensamos em qual profissão devemos seguir, um tópico sempre surge na nossa mente: quanto vamos ganhar no final do mês? Ainda que o valor da remuneração não seja o aspecto mais relevante para você tomar a sua decisão, ele é um ponto importante de ser considerado.

Afinal, você precisa saber qual será o reconhecimento financeiro que você terá com os anos de dedicação de estudo e, é claro, de atuação depois de formado. Isso promove não só uma motivação a mais para desenvolver um trabalho de qualidade, como também traz mais satisfação e felicidade no seu dia a dia.

Porém, afinal, quanto ganha um engenheiro florestal? Bom, como as engenharias apresentam um piso salarial — isto é, um valor mínimo de remuneração por mês —, quem se forma em Engenharia Florestal também usufrui desse privilégio. No Brasil, o critério de definição dos valores é por meio da jornada de trabalho.

Nesse caso, quem trabalha seis horas por dia, deve ganhar pelo menos seis salários mínimos. Por outro lado, quem tem uma jornada de sete horas, deve ganhar sete salários mínimos e assim por diante, lembrando que a quantia do salário-mínimo sofre um reajuste anual.

Em 2019, esse valor é de R$ 998,00. Assim, não fica muito difícil de perceber que um engenheiro florestal que trabalha seis horas por dia ganha R$ 5.988,00 no mês e aquele que trabalha oito horas ganha R$ 7.984,00, sem contar os benefícios que as empresas podem oferecer.

Acontece que encontramos muitas oscilações quando pesquisamos os valores reais no mercado, isso porque é possível modificar a quantia de acordo com o nível de especialização que você apresenta. Assim, um trainee nunca vai ganhar tanto quanto um engenheiro máster.

Estágio em Engenharia Florestal

O período pré-vestibular é cheio de dúvidas e angústias, não é mesmo? Entre não saber qual profissão seguir e se sentir perdido no meio de tantas informações importantes sobre as provas, muitos estudantes ficam preocupados com o seu futuro — o que é totalmente normal e esperado.

No entanto, alguns acreditam que essas preocupações acabam no minuto em que entram na graduação, mas não é bem assim. Da mesma maneira que existem muitas opções de escolha profissional, dentro de cada curso você encontrará uma série de áreas de atuação que podem ser seguidas.

Assim, é preciso escolher novamente qual caminho percorrer para atingir o sucesso profissional, mesmo depois de ter decidido qual curso você deseja realizar. Para minimizar o sofrimento dos estudantes universitários, muitas universidades exigem o cumprimento do estágio obrigatório para a formação.

Isso porque o estágio é um excelente campo de ensino-aprendizado, em que você pode errar e superar os seus limites com a orientação de profissionais já formados, além de formar um excelente networking que pode resultar em oportunidades reais depois da graduação.

Por isso, quem opta por cursar Engenharia Florestal necessariamente terá que realizar um período de estágio obrigatório, sendo que a quantidade de horas varia de instituição para instituição. Vale lembrar que na maioria dos casos a própria universidade oferece os campos para você experimentar.

Quando isso não acontece, é preciso entrar em contato com algumas organizações para realizar parcerias com a sua universidade a fim de cumprir esse período obrigatório. Ainda, é possível investir em programas como o Novos Valores e conhecer como que a sua área de atuação se faz presente no serviço público brasileiro.

engenharia florestal

Engenharia Florestal: faculdades

Até agora, você já conheceu o que é Engenharia Florestal e como o seu curso é estruturado. Contudo, o nosso artigo não estaria completo se nós não falássemos sobre as principais faculdades que oferecem a graduação para você. Afinal, você precisa também escolher uma boa universidade para realizá-la.

Como comentamos, o curso é relativamente novo no Brasil. Fundado na década de 1960, ele ainda está em desenvolvimento, ainda que várias universidades o disponibilizam para a população.

A seguir, você pode conferir as principais instituições de ensino que apresentam o curso de Engenharia Florestal, sobretudo aquelas que tem uma boa pontuação no ENADE (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes).

Engenharia Florestal: UFPR

A primeira instituição da nossa lista é a UFPR (Universidade Federal do Paraná). Você lembra que nós explicamos sobre a migração do curso de Minas Gerais para Curitiba quando ele foi implementado no Brasil? Pois é, essa universidade que acolheu a graduação e a desenvolveu tal como ela é hoje.

Assim, o curso de Engenharia Florestal UFPR é oferecido em três grandes eixos, sendo que você entra em contato com todos eles durante a graduação: produção florestal, ecologia aplicada e tecnologia de produtos florestais. Cada um deles está ligado a uma área específica da profissão e oferece fundamentos suficiente para você ter sucesso na sua carreira.

Engenharia Florestal: UFSM

Criado em 1970, o curso de Engenharia Florestal UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) ganhou um destaque importante na história dessa ciência. Hoje, ele é muito procurado pelos estudantes de todos os cantos do Brasil e oferece uma boa estrutura de estudo para seus alunos.

Hoje, a graduação conta com 10 semestres e exige o cumprimento do estágio obrigatório para você ter o diploma em mãos. Com isso, os alunos voltam o seu olhar para a prática profissional e descobrem campos de trabalhos inovadores e encontram a possibilidade de explorá-los a fim de desenvolver uma nova Engenharia Florestal.

Engenharia Florestal: UnB

Por fim, a Engenharia Florestal UnB (Universidade de Brasília) tem como objetivo fornecer um espaço crítico e de debate sobre os aspectos do meio ambiente, sobretudo em relação às técnicas de exploração que minimizam os impactos gerado pelas grandes empresas no Brasil e no mundo.

Assim, busca-se a formação de profissionais que seguem um caminho de inovação e crescimento intelectual e social a fim de contribuir positivamente para o sustento do meio ambiente e seus diferentes ecossistemas. Tudo isso é iniciado no curso de bacharelado, mas também há a possibilidade de dar continuidade aos estudos na pós-graduação.

Engenharia Florestal: grade curricular

Você já deve ter percebido que há uma amplitude quando se fala em Engenharia Florestal. Afinal, muitas universidades oferecem eixos distintos e buscam desenvolver uma série de competências e habilidades que podem não dialogar entre si. No entanto, não podemos negar que existe um fundamento básico que une cada instituição: a busca pela sobrevivência ambiental.

Nesse sentido, cada faculdade de Engenharia Florestal oferece a sua grade curricular voltada para o seu objetivo definido no projeto pedagógico. No entanto, existem disciplinas básicas que sustentam qualquer atuação desse profissional.

A seguir, nós listamos as principais matérias que você encontrará na graduação caso escolha esse curso. Aproveite para conferir cada uma delas e imaginar como seria estudar as disciplinas apresentadas. Assim, você consegue visualizar melhor a sua futura profissão e perceber se a sua escolha é a correta. Vamos lá?

  • Avaliação e Perícias Rurais;
  • Inventário e Manejo Florestal;
  • Construções Rurais;
  • Dendrometria e Inventário;
  • Controle de Incêndio;
  • Gestão dos Recursos Naturais Renováveis;
  • Cartografia e Geoprocessamento;
  • Comunicação e Extensão Rural;
  • Estrutura de Madeira;
  • Industrialização de Produtos Florestais;
  • Economia e Mercado do Setor Florestal;
  • Manejo de Bacias Hidrográficas;
  • Fitossanidade;
  • Ecossistemas Florestais;
  • Tecnologia e Utilização dos Produtos Florestais;
  • Gestão de Recursos Hídricos;
  • Recuperação de Ecossistemas Florestais Degradados;
  • Política e Legislação Florestal;
  • Patologia Florestal;
  • Gestão Empresarial e Marketing;
  • Técnicas e Análises Experimentais;
  • Colheita Florestal;
  • Recursos Energéticos Florestais;
  • Estudos de Impacto Ambiental;
  • Biologia Aplicada;
  • Melhoramento Florestal;
  • Física da Madeira;
  • Análise, Conservação e Proteção de Recursos Naturais;
  • Meteorologia e Climatologia;
  • Ecologia;
  • Proteção Florestal;
  • Solos e Nutrição de Plantas;
  • Bioquímica;
  • Química Ambiental;
  • Gestão e Legislação Ambiental;
  • Geotécnica Ambiental;
  • Sistemas Agrossilviculturas;
  • Silvicultura.

Vale lembrar, ainda, que todas as universidades que oferecem o curso demandam a realização de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), alinhado ao relatório de estágio, para que você proponha estratégias inovadoras na sua área de atuação e contribua com a ciência brasileira.

Engenharia Florestal: nota de corte

No início deste artigo, explicamos que escolher um curso superior não é tarefa fácil. Para auxiliá-lo na sua tomada de decisão, é preciso considerar algumas informações importantes como a grade curricular do curso, o salário médio da profissão e a nota de corte no vestibular.

Como você já deve ter percebido, já apresentamos mais da metade dessas informações, não é mesmo? Para completar esses dados e garantir que a sua escolha seja feita de forma consciente e precisa, nós listamos abaixo as principais notas de corte de Engenharia Florestal.

Lembre-se de observá-las com atenção e identificar se a sua universidade de destino está entre as instituições mais concorridas do Brasil. Confira!

  • Universidade de São Paulo, campus Luiz de Queiroz, turno integral – 754.0;
  • Universidade Federal do Pará, campus de Altamira, turno integral – 738.0;
  • Universidade de Brasília, campus universitário Darcy Ribeiro, turno integral – 697.0;
  • Universidade Federal de São Carlos, campus Sorocaba, turno integral – 695.0;
  • Universidade Federal de Lavras, campus sede, turno integral – 689.0;
  • Universidade Federal do Paraná, campus Jardim Botânico, turno integral – 676.0;
  • Universidade Federal Rural da Amazônia, campus sede, turno integral – 676.0;
  • Universidade Federal do Amazonas, campus sede, turno integral – 671.0;
  • Universidade Federal de Viçosa, campus sede, turno integral – 671.0.

Engenharia Florestal: EAD

engenharia florestal

Não é nenhum mistério que a tecnologia invadiu a educação. Hoje, é possível acessar diversas vídeo-aulas para tirar suas dúvidas sobre aquela matéria difícil, assim como estudar de forma remota. É por isso que os estudos a distância ganharam um forte reconhecimento atual: você pode aprender em qualquer lugar, no seu horário e ritmo.

No entanto, não são todas as graduações que são oferecidas na modalidade EAD, visto que muitas delas precisam de um conhecimento prático que só pode ser desenvolvido por meio da presença na sala de aula, sobretudo nos laboratórios e clínicas de ensino-aprendizagem.

O curso de Engenharia Florestal apresenta muitas saídas de campo, vivências práticas e uma troca constante de experiência com outros colegas e profissionais. Por isso, ele não é oferecido na modalidade EAD, ainda que seja possível encontrar videoaulas explicando sobre as dúvidas mais comuns dos estudantes na internet.

Mas isso não quer dizer que seja impossível estudar virtualmente. Hoje existem diversas especializações de Engenharia Florestal EAD que permitem a adaptação do seu aprendizado conforme a sua rotina pessoal. Lembre-se de que investir em uma pós-graduação amplia suas oportunidades de trabalho e facilita o alcance do sucesso profissional.

Símbolo Engenharia Florestal

Você sabia que as engenharias apresentam uma simbologia muito forte? Cada curso de graduação tem o seu símbolo próprio utilizado para criar a sua identificação no universo acadêmico. Ao longo da história da consolidação das graduações, os símbolos transcenderam o objetivo de identificação e se tornaram uma ferramenta de pertencimento para os alunos.

Vamos pensar juntos: não é difícil encontrar estudantes universitários andando nos campus com moletons ou camisetas apresentando o símbolo dos seus cursos, não é mesmo? Isso é uma forma de afirmar para o mundo que faz parte de determinada graduação e que gosta da escolha profissional realizada.

No caso do símbolo da Engenharia Florestal, existe uma história muito interessante por trás. Como toda a engenharia, ele é composto por uma engrenagem e, no centro, mostra a letra grega fi (φ). Ela, por sua vez, foi escolhida para representar o curso por dois motivos: começar com a letra “f” de forts (floresta) em alemão.

Vale lembrar que os estudos em Engenharia Florestal foram iniciados na Alemanha no século XIX e, por isso, escolheu a palavra forts como representante do curso e, por consequência, a letra grega fi para simbolizar a graduação como um todo.

O profissional de Engenharia Florestal

Afinal, de nada adianta entender o que é Engenharia Florestal se você não sabe em qual local pode exercer a sua profissão, não é mesmo? Como comentamos, essa área é muito ampla e oferece para os recém-formados uma grande rede de trabalho, tanto no serviço público quanto no privado.

Assim, você pode trabalhar em atividades de exploração e manejo florestal, com enfoque na proteção do meio ambiente e do uso consciente dos recursos naturais. Via de regra, esse campo é mais comum nas empresas privadas — como construtoras e madeireiras —, que contratam engenheiros para consultoria e acompanhamento das operações de extração e construção civil.

Ainda, é possível atuar na implantação e manutenção das plantações florestais, estudando desde a estruturação das sementes e técnicas de produção de mudas e cultivo, até o conhecimento da flora brasileira, climas e solos que contribuem para a criação de um ecossistema qualificado.

Perfil do engenheiro florestal

Diante de todas essas áreas de atuação, precisamos lembrá-lo de que existe um perfil do engenheiro florestal para que você desempenhe um bom trabalho no campo. A seguir, listamos as principais características que você deve apresentar para ter sucesso na profissão.

  • discernimento;
  • raciocínio lógico;
  • criatividade;
  • adaptabilidade;
  • gosto pela natureza e ciências biológicas;
  • espírito empreendedor;
  • postura crítica frente aos impactos ambientais.

Vale lembrar que essas habilidades e competências não são desenvolvidas da noite para o dia. Ao longo dos 10 semestres do curso e da prática profissional você conquista essas características e se torna um bom engenheiro florestal.

Mercado de trabalho

Para finalizar o nosso guia completo, precisamos falar sobre o mercado de trabalho. Ao longo do artigo nós frisamos bastante a amplitude que essa carreira oferece aos seus profissionais, isso acontece porque o mercado de trabalho permite que diversas vagas apareçam e coloca a visibilidade dos engenheiros florestais no topo do comércio.

Em outras palavras, com o aumento das campanhas de conscientização em relação ao meio ambiente e as novas legislações que estão surgindo para valorizar o local no qual vivemos, muitas empresas buscam profissionais qualificados para auxiliar na criação de práticas sustentáveis.

Além disso, é importante ter em mente que as propostas mais frequentes nesse ramo giram em torno do reflorestamento ambiental, recuperação de áreas degradadas, manejo de bacias hidrográficas e educação ambiental.

O curso de Engenharia Florestal conquista alunos do Brasil inteiro. Imerso em uma perspectiva crítica em relação ao meio ambiente e as práticas positivas para a sustentabilidade, essa graduação alcançou uma posição de destaque entre os estudantes e tem tudo para crescer cada vez mais nos próximos anos.

E então, acha que Engenharia Florestal é o curso certo para você? Lembre-se de que é fundamental ter um bom desempenho nas provas para poder entrar nessa graduação. Aproveite para conhecer o nosso plano de estudos e monte um planejamento eficiente para mandar bem no vestibular!