Pediatria: o guia completo!

A Medicina é uma das áreas de estudo mais completas, característica compartilhada por outras áreas das Ciências Biológicas, como os cursos de Biologia ou Medicina Veterinária. Tais graduações são altamente abrangentes e ensinam o estudante a lidar com aspectos muito variados da vida. Na área médica, por exemplo, existem diversas especialidades, como é o caso da Pediatria.

Essas subdivisões existem com o intuito de aprofundar os estudos daquele indivíduo em determinado tema. Assim, podemos formar profissionais muito mais capacitados e qualificados para lidar com a saúde de outras pessoas, já que eles terão um conhecimento muito maior sobre determinado aspecto do organismo humano.

Neste guia completo, aprenderemos um pouco mais sobre as características da Pediatria, a área médica que lida com a saúde das crianças. Essa é uma das especialidades mais buscadas pelos recém-formados. Quem sabe ela também não é a área ideal para você?

Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é Pediatria?

Antes de nos aprofundarmos nesse tema, é importante entendermos o que é a Pediatria. De modo geral, essa especialidade compreende a área que lida com a saúde das crianças. Assim, o pediatra é o profissional indicado para lidar com os pequenos, atuando na prevenção, no diagnóstico e no tratamento de enfermidades que atingem esse grupo.

Por incrível que pareça, crianças são muito mais do que adultos em miniatura. Em outras palavras, podemos afirmar categoricamente que o organismo infantil é extremamente diferente do de adultos e idosos. Os pequenos têm particularidades que os tornam únicos, sendo, portanto, necessário um estudo destinado exclusivamente a eles.

Com isso, a Pediatria é a área que abrange o estudo aprofundado do organismo das crianças e suas principais características. Essa é uma especialidade médica, ou seja, é necessário primeiro se graduar em Medicina e depois se especializar nesse setor ao longo de mais alguns anos de estudo.

Assim como a Medicina no geral, a Pediatria teve a sua origem no Mundo Grego. Por lá, ela ainda não era uma especialidade única, mas foi nesse contexto que o tema começou a dar os primeiros passos. Na Era Moderna, a história dessa área começa com a fundação do primeiro hospital infantil do mundo, na França, em 1802.

Hoje, a Pediatria é a área que estuda e trata indivíduos desde o seu nascimento até os 13 anos de idade. Algumas instituições escolhem outras faixas etárias (que podem ir dos 11 aos 15 anos), mas essa é uma média boa para o que ocorre na maioria das clínicas e hospitais do Brasil.

Curso de Pediatria

Agora que já conhecemos alguns dos principais aspectos da Pediatria, chegou a hora de falarmos um pouco sobre o curso e suas características mais marcantes. Assim, você conhecerá um pouco do funcionamento da especialidade e, claro, do dia a dia dos estudantes dessa área. Vamos lá?

Como mencionamos, a Pediatria é a área que estuda a saúde das crianças e os sistemas do organismo infantil. Assim, o foco é observar as interações entre os órgãos da criançada e, a partir daí, elaborar protocolos terapêuticos adequados para tratar as enfermidades das pessoas em seus primeiros anos de vida.

O médico pediatra é um profissional fundamental para a sociedade, já que cuida de nossa saúde em um dos momentos mais importantes de nossas vidas: a infância. Bons cuidados nessa fase permitem que nos tornemos adultos muitos mais saudáveis e com menos problemas.

Além de focar na parte preventiva da Medicina, com cuidados que são instaurados antes das doenças aparecerem, os pediatras também estão aptos a lidar com as possíveis enfermidades das crianças. Ao longo do curso, aprenderão todas as características da anatomia infantil.

A seguir, conversaremos mais sobre os tipos de curso de Pediatria, as suas devidas durações e também sobre o funcionamento do estágio em Pediatria. Assim, você saberá ainda mais sobre essa especialidade e suas características. Tudo pronto? Então vamos lá!

Duração do curso

O primeiro passo para se tornar um pediatra é cursar a Faculdade de Medicina. Após os seis anos do ensino regular (sendo quatro de ciclo básico e dois de internato, nos quais o estudante passa a atuar dentro dos hospitais, em uma forma de estágio obrigatório), o aluno está apto a prestar a prova para Residência em Pediatria.

A Residência dura, de modo geral, 3 anos. Essa duração é válida para a Pediatria Clínica, ou seja, a área que realiza os atendimentos básicos para as crianças. Esse profissional pode atuar, por exemplo, em locais como ambulatórios, clínicas particulares, hospitais ou Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Há, ainda, a especialidade em Cirurgia Pediátrica. Essa Residência funciona de uma maneira um pouco diferente, já que é a variação cirúrgica da Pediatria. Para tal, o estudante precisa fazer 2 anos de Cirurgia Geral, seguidos por 3 em Cirurgia Pediátrica. São necessários, portanto, mais 5 anos de estudo para obter o título de cirurgião pediátrico.

Por fim, há ainda outra opção, a de realizar uma pós-graduação em Pediatria. Tais cursos são devidamente reconhecidos pelo MEC (Ministério da Educação) e têm, em sua maioria, duração de 2 anos.

A principal diferença entre as modalidades está na concessão do título de especialista. Enquanto a Residência oferece esse título, a pós-graduação não. Por isso, o pós-graduado precisa prestar uma prova de títulos ao fim do curso.

Estágio em Pediatria

Durante a Residência, o profissional formado em Medicina trabalhará em hospitais ou clínicas conveniadas como parte da obtenção de sua educação. Os conhecimentos são, portanto, obtidos por meio do dia a dia na prática médica pediátrica, ainda que sob a supervisão de superiores.

Esse estágio será feito em plantões, que podem variar bastante em duração e ritmo. O número de horas é, normalmente, de 60 horas semanais. Essa alta carga horária faz com que o estudante entre em contato com o maior número de casos possíveis e aprenda, de modo intensivo, o dia a dia da profissão que almeja seguir.

Isso não quer dizer, é claro, que o residente passa todo o seu tempo apenas no hospital. Há ainda uma série de aulas teóricas e tarefas que precisam ser feitas, assim como na faculdade. A rotina é, portanto, muito puxada.

No caso de pós-graduações, a rotina é muito mais tranquila e com menos horas seguidas de plantões. No entanto, ainda há uma série de estágios obrigatórios para que o estudante possa aprender, na prática, como cuidar da saúde das crianças de diversas idades e compreender o funcionamento de seus organismos.

Por conta disso, podemos dizer que o estágio obrigatório em Pediatria é parte fundamental da formação desse profissional. Levá-lo a sério e aproveitar a oportunidade para absorver o máximo de conhecimento possível é uma ótima maneira de se tornar, no futuro, um ótimo pediatra.

Faculdade de Pediatria

Agora, chegou o momento de conversarmos sobre a faculdade de Pediatria. Como mencionado no início deste post, para se tornar um pediatra o estudante precisa, antes de mais nada, cursar a Faculdade de Medicina. A Pediatria é uma especialização, ou seja, um título obtido por meio de pós-graduação ou, mais comumente, após a realização de uma Residência.

A Residência, ou seja, a especialização feita após a faculdade de Medicina, é o modo mais comum de se aprimorar e entrar nessa carreira. Ela tem duração de 3 anos e o ingresso ocorre mediante a execução de um processo seletivo muito rigoroso, que escolhe apenas os estudantes mais aplicados para fazer parte desse time.

Nessa modalidade, o estudante atua como médico em um hospital, passando por várias etapas. A primeira delas é a que recebe o título de R1, ou seja, o primeiro estágio da Residência. Nele, os residentes aprenderão mais sobre a rotina da profissão e se aperfeiçoarão sempre com a supervisão de médicos mais à frente na formação.

Pouco a pouco, o residente passará a atuar sozinho, realizando cada vez mais procedimentos solo. Ao fim do curso, ele obterá o título de especialista e poderá trabalhar na área escolhida.

Caso a escolha tenha sido uma pós-graduação, que também passa por ensinamentos teóricos e práticos, o estudante precisará prestar uma prova de títulos específica para, só então, obter o seu registro como especialista em Pediatria. Antes dessa nomeação, todos os médicos são Clínicos Gerais.

Pediatria nota de corte

Essa é, sem dúvidas, uma das especialidades mais concorridas de todas. Muitos médicos recém-formados sonham em se tornar pediatras após a graduação e, por isso, é preciso estudar muito para as provas específicas (é isso mesmo! Quem disse que os estudos e as provas seletivas acabam após o vestibular?).

Há, em todo o Brasil, cerca de 250 instituições que oferecem essa Residência. O número de vagas gira em torno de 1800, um número relativamente baixo, especialmente quando consideramos o montante de pessoas que querem seguir essa carreira. Tais dados são oferecidos pela Sociedade Brasileira de Pediatria em seu site oficial.

Por conta disso, é extremamente difícil precisar a nota de corte para esses programas de Residência, especialmente levando em consideração que muitos fatores podem fazer com que eles sejam alterados, como o número de vagas, a localidade do curso, a quantidade de candidatos, dentre outros.

Por conta disso, precisamos sempre levar em conta a nota de corte na carreira de Medicina. Como sabemos, essa é uma das áreas mais concorridas e, muito provavelmente, a que exige pontuações mais elevadas para o ingresso do aluno na universidade. Por isso, estudar muito é fundamental!

Pelo Enem, a maioria das notas de corte ultrapassa os 750 pontos. No entanto, esse número pode ser reduzido com as ações afirmativas. Outra alternativa é ingressar em uma universidade particular por meio de benefícios como o Prouni e o Fies, que normalmente têm notas de corte um pouco mais baixas.

Pediatria grade curricular

Agora, chegou o momento de discutirmos alguns dos principais aspectos da grade curricular de Pediatria. Conhecer quais são as matérias e disciplinas vistas durante o curso é uma ótima maneira de decidir, afinal, se esse é o caminho ideal a se seguir na carreira. Vamos lá?

Em primeiro lugar, precisamos dizer que há uma série de disciplinas teóricas, que são ministradas mais ou menos da mesma maneira que ocorre durante a graduação. Entre elas, podemos citar a anatomia infantil e muitas outras, que são, normalmente, vistas a partir de discussões e análises de casos, uma maneira muito mais dinâmica de aprender sobre o corpo humano.

Além da teoria, há, é claro, a prática. Disciplinas práticas são, como o próprio nome já diz, lecionadas no dia a dia, ou seja, no decorrer dos casos e do contato direto com os pacientes e seus familiares. Aqui, o profissional aprende muito sobre a profissão e, evidentemente, sobre os indivíduos que ele precisa cuidar.

Entre as áreas observadas durante a prática médica na Residência, podemos citar:

  • atendimento de urgência;
  • plantão na emergência;
  • plantões em UBS (Unidade Básica de Saúde);
  • atendimento a pacientes internados;
  • atendimento ambulatorial;
  • prática na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo);
  • noções de procedimentos cirúrgicos (até mesmo para os profissionais da área clínica).

Além disso, pediatras podem atuar em áreas relacionadas aos neonatais, ou seja, recém-nascidos. Embora haja uma especialidade para lidar exclusivamente com esses pequenos seres, os pediatras podem auxiliar e aprender bastante ao realizar rotações nessa área, se tornando um profissional muito mais completo e preparado.

O profissional de Pediatria

Agora, já sabemos muito sobre o curso de Pediatria! No entanto, as informações não param por aí. Precisamos ainda falar sobre alguns aspectos importantes da carreira após a formação, ou seja, depois da obtenção do título de especialista. Afinal, pensar a longo prazo é muito importante e, para isso, temos que conhecer os principais pontos de uma carreira.

O profissional de Pediatria é indispensável para a sociedade. Como mencionamos, ele é responsável não só pelo tratamento de doenças que acometem as crianças, ainda que essa seja uma importante atribuição desse médico. Os pediatras também têm forte ligação com a prevenção de problemas na infância e na fase adulta.

Focados na qualidade de vida dos pequenos, os pediatras são encarregados de trabalhar com a prevenção de enfermidades e com a promoção geral da saúde. Isso é feito, por exemplo, por meio da conscientização e educação dos pais no cuidado de seus bebês, entre outros aspectos.

Por conta disso, o pediatra é um médico que não atua apenas no âmbito infantil. Ao cuidar das crianças e promover uma vida mais saudável para esses indivíduos, ele está contribuindo para que gerações muito mais fortes e saudáveis sejam construídas. A longo prazo, isso gera adultos mais preocupados com o próprio organismo e, claro, mais conscientes de seus corpos.

Assim, podemos afirmar que o pediatra tem uma importância crucial para o dia a dia da sociedade. Ele tem uma grande responsabilidade, a de cuidar do maior bem que uma população tem: as crianças, que darão voz ao futuro e cuidarão dos interesses daqueles que já estão por aqui e que ainda estão por vir.

Perfil do pediatra

A profissão de um pediatra é ao mesmo tempo uma das mais belas e das mais difíceis. Afinal, lidar com a saúde de crianças é algo que requer muito amor, mas que também pode ser um grande desafio, já que alguns deles ainda não se comunicam adequadamente e também têm organismos muito diferentes dos adultos.

Além disso, o profissional de Pediatria precisa ter o tato necessário para lidar com os familiares do paciente. Por isso, não basta gostar de crianças para seguir essa profissão: é preciso ter empatia por pessoas de todas as faixas etárias e uma ótima capacidade de comunicação para lidar com os mais diferentes interlocutores.

Outra característica desejada aos profissionais pediatras é a capacidade de observação. Muitas vezes, essa habilidade pode fazer toda a diferença entre um diagnóstico correto e um errado. Ter uma boa organização também é fundamental, já que o dia a dia dos pediatras é bem caótico e precisa estar devidamente organizado.

Outro ponto fundamental é a inteligência emocional. Muitas vezes, pessoas que vão para essa área têm uma sensibilidade aflorada e gostam naturalmente de crianças. Infelizmente, no dia a dia, os pediatras entrarão em contato com muitos casos de maus-tratos, violência e descaso contra esses pacientes e precisarão lidar com isso com profissionalismo e muita força.

Por fim, a empatia é, sem dúvidas, um dos principais componentes do perfil de um pediatra. Pensar como o próximo e se colocar em seu lugar é fundamental não só para o diagnóstico certeiro de doenças, como para fazer com que todos os seus pacientes se sintam à vontade e colaborem com o atendimento no dia a dia.

Mercado de trabalho

Agora, chegou o momento de sabermos mais sobre outro ponto muito importante da carreira de um pediatra: o mercado de trabalho. Afinal, conhecer os aspectos das oportunidades que teremos após os nossos estudos é extremamente importante, certo?

De modo geral, não faltam vagas ou oportunidades para esse profissional. Há uma grande demanda por pediatras qualificados no mercado, já que os índices de natalidade no Brasil ainda são altos e é fundamental que as nossas crianças continuem a receber um bom atendimento básico. A demanda para a área cirúrgica também está em expansão.

Há vários caminhos que um pediatra pode seguir. Um deles é a abertura de uma clínica ou consultório próprios, seja sozinho ou em parceria com outros colegas de profissão. Essa é uma pedida para os que têm espírito empreendedor e sempre sonharam com o próprio negócio.

Para os que não se arriscam na administração de uma pequena empresa, atuar em clínicas e hospitais como prestador de serviços pode ser uma boa saída. É possível trabalhar tanto no setor privado como no público.

Por fim, os pediatras também podem seguir para outras áreas, como a pesquisa. Dar aulas também é uma opção viável para os que gostam de lecionar e querem transmitir os seus conhecimentos a outras pessoas.

Quanto ganha um pediatra?

Uma das dúvidas mais recorrentes dos estudantes de Medicina ou dos vestibulandos que pretendem seguir essa área após a graduação é quanto ganha um médico pediatra no Brasil.

O salário de um pediatra dependerá de uma série de fatores. Entre eles, podemos citar pontos como a localidade do profissional (estados ou cidades podem ter faixas salariais diversas) e, claro, o tipo de vínculo empregatício. A remuneração será diferente, por exemplo, para os que trabalham no âmbito público e no privado.

Há um salário-mínimo vigente para o profissional da área pediátrica, que gira em torno dos R$ 11.675,00, correspondentes a 20 horas de trabalho semanais. No entanto, esse valor é apenas uma recomendação, o que significa que ele pode vir a ser inferior em alguns locais.

Assim, de modo geral, um pediatra ganha em torno de R$ 5.000,00 e R$ 12.000,00 atuando na prática médica em 20 horas semanais. Esse valor é maior em caso de jornadas de trabalho mais longas e também tende a crescer conforme o profissional adquire mais experiência.

Para cirurgiões pediátricos, o montante é consideravelmente maior, ultrapassando os R$ 20.000,00 mensais. Pesquisadores, professores e pediatras atuantes em outras áreas também podem ter rendimentos variados.

Congresso Brasileiro de Pediatria

Agora que já sabemos tudo sobre o curso, que tal discutirmos um dos eventos mais importantes dessa área? Estamos falando, é claro, do Congresso Brasileiro de Pediatria!

Esse é um evento que ocorre anualmente, normalmente no segundo semestre do ano. A sede do Congresso varia bastante de edição para edição. Nele, profissionais de todo o mundo são convidados tanto para palestrar quanto para comparecer aos simpósios, workshops e outras atividades que fazem parte da programação.

Visitar esse congresso é uma incrível oportunidade tanto para profissionais formados quanto para estudantes, até mesmo aqueles que ainda não escolheram uma especialidade para chamar de sua. Por isso, vá se preparando: em alguns anos, você poderá conferir de perto todo esse evento!

Dia do pediatra

Antes de terminarmos o nosso bate-papo, precisamos falar sobre um momento muito especial do ano: o Dia do Pediatra.

Celebrado todos os anos no dia 27 de junho, a data foi escolhida pela SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) para celebrar uma das mais bonitas profissões de todo o mundo.

Valorizar esse profissional é uma responsabilidade da sociedade. Portanto, se você deseja se tornar um Pediatra, saiba que essa é uma das carreiras mais necessárias para a população, sendo uma profissão de valor inestimável para todos nós!

Já deu para perceber que a Pediatria é tudo de bom, não é mesmo? Essa especialidade médica é uma ótima oportunidade de exercer a Medicina em seu conceito mais puro: o de amor ao próximo. No entanto, para se tornar um pediatra, é preciso ralar muito! Veja nosso Plano de Estudos personalizado, confira o conteúdo de cada matéria, faça os exercícios e arrase no vestibular!