Química no Enem: veja o que mais cai no exame!

O que mais cai de Química no Enem? Este guia completo vai te mostrar os principais conteúdos para você se preparar e mandar muito bem no exame!

Química no Enem: veja o que mais cai no exame!

Química é uma matéria importante no Enem e, ao contrário do que possa parecer, não trata apenas de experimentos mirabolantes. Ela também abrange a composição da matéria e sua transformação, além de vários outros assuntos. 

Ela está presente inclusive no corpo humano, sabia? São milhares de tipos de reação ocorrendo o tempo todo. Por isso, a matéria precisa ser estudada com atenção para facilitar a compreensão de todos os seus conteúdos. Então, tem tudo a ver com a Biologia e a Física, além de outras disciplinas.

O Enem está cada vez mais próximo e aí começa a bater aquela ansiedade e vontade de estudar tudo ao mesmo tempo, não é mesmo? Então, para te ajudar, criamos esta lista com os temas mais quentes de Química que podem aparecer na prova. Assim, o estudo é mais focado, aumentando suas chances de mandar bem no grande dia.

Quer ver quais os temas mais presentes na prova de Química do Enem? Então vamos!

Quais assuntos mais caem na prova de Química no Enem?

O professor Igor, do Stoodi, disse que os temas mais cobrados na prova de Química são:

  • Estudo de moléculas
  • Química orgânica
  • Reações inorgânicas
  • Soluções — concentrações
  • Cálculos estequiométricos
  • Eletroquímica — conceitos gerais / pilhas eletroquímicas / eletrólise
  • Termoquímica
  • Poluição ambiental
  • Radioatividade
Estudo de moléculas

Estudo de moléculas

Em estudo de moléculas, a maior parte das questões mostra aos candidatos estruturas de moléculas, principalmente moléculas orgânicas, para analisar o modo como interagem com um meio — geralmente o meio aquoso, ou seja, na interação com a água.

O professor Igor ressalta a importância de “saber relacionar propriedades físicas, químicas ou biológicas e conhecer a nomenclatura para interpretar as situações-problema”.

Para mandar bem neste tema, é essencial fazer uma leitura atenta das interações intermoleculares, procurar interpretar as estruturas moleculares e estudar as condições envolvidas nas forças intermoleculares e seus fenômenos.

Química orgânica

Química orgânica

Em Química Orgânica, é possível encontrar questões que demonstram modelos de reações orgânicas e que solicitam ao candidato uma interpretação detalhada na hora de resolver um problema ou até mesmo a realização do mesmo processo, mas com reagentes diferentes daqueles demonstrados.

O professor Igor afirma que é “importante avaliar impactos em ambientes naturais decorrentes de atividade humana e saber relacionar informações apresentadas em diferentes formas de linguagem”.

Não se esqueça de fazer uma boa revisão das principais funções orgânicas, estudar algumas reações, principalmente as que envolvem álcoois, e observar os símbolos utilizados para os principais polímeros e seus critérios para processos de reciclagem.

Reações inorgânicas

Reações inorgânicas

No caso das reações inorgânicas, é importante prestar atenção às reações de dupla-troca devido à carga de informações necessárias para se chegar a tal equação. O conhecimento aprofundado das funções inorgânicas e suas características é essencial.

O professor Igor alerta sobre a necessidade de “saber interpretar e equacionar uma reação química, além de balanceá-la. Esse conhecimento será importante para a realização dos cálculos químicos e outros aspectos, como a transferência de energia, a formação de substâncias tóxicas ou poluentes ambientais”.

Para estar preparado, é importante observar as características das substâncias inorgânicas, estudar os conceitos de ácidos, bases, sais e óxidos e, por fim, pesquisar informações sobre cinética química e equilíbrio químico.

Soluções — concentrações

Em soluções — concentrações, é importante lembrar o que é uma solução, antes mesmo de calcular os diversos modos de expressar uma concentração. É preciso ficar claro que a solução é uma mistura homogênea de soluto e solvente; o solvente encontra-se em maior quantidade e o soluto, em menor.

Para mandar bem em soluções — concentrações, é necessário saber relacionar as propriedades físicas, químicas e biológicas com o que é pedido no enunciado. Além disso, é importante interpretar as informações em diferentes formas de linguagem.

Para arrebentar na revisão, pesquise os conceitos de mistura, soluto e solvente. Além disso, estude cálculos de proporção de medidas e revise as unidades de medida de volume, massa e, também, a quantidade de matéria.

Cálculos estequiométricos

Cálculos estequiométricos

Os cálculos estequiométricos pedem a capacidade de interpretação textual, conhecimento na relação de termos químicos utilizados, organização de valores apresentados no texto ou em tabelas. Também é preciso saber trabalhar com equações químicas e montar equações químicas de reações descritas no texto da questão.

O Enem pode abordar os cálculos estequiométricos com questões que envolvem reações consecutivas e que também tenham rendimento e pureza.

Inclua no seu plano de estudos a revisão dos principais conceitos de química e tipos de reagentes, a memorização de conceitos simples de matemática, como a regra de três, além de estudar equações de balanceamento.

Eletroquímica

Eletroquímica

Em eletroquímica, as questões podem envolver tópicos como as transformações químicas e energia elétrica, reação de oxirredução, potenciais padrão de redução, pilha, eletrólise e Leis de Faraday.

Para mandar bem nas respostas, é essencial compreender a importância dos ciclos bioquímicos ou do fluxo de energia para a vida, ou da ação de agentes ou fenômenos que podem causar alterações nesses processos.

Coloque no seu plano de estudos a tabela de potenciais de redução, como calcular a diferença de potencial de uma pilha e também pesquise as diferenças entre eletrólise e pilhas eletroquímicas.

Química no Enem: termoquímica

Termoquímica

Para as questões de termoquímica, é importante saber identificar etapas em processos de obtenção, transformação, utilização ou reciclagem de recursos naturais, energéticos ou matérias-primas, considerando processos biológicos, químicos ou físicos neles envolvidos.

Para arrebentar em termoquímica, o professor Igor afirma que “vale lembrar que ΔH < 0 indica um processo que libera energia (exotérmico) e, ΔH > 0, um processo que absorve energia (endotérmico)”.

Não se esqueça de estudar entalpia e variações, conceitos que envolvem processos biológicos, químicos e físicos. Também é importante aprofundar os conhecimentos sobre energia e ligações e memorizar a fórmula de variação de entalpia.

Poluição ambiental

Poluição ambiental

Em poluição ambiental, é importante dominar os principais problemas ambientais que envolvem a atmosfera, contaminação dos solos e corpos d’água, além de processos de sítios contaminados, tratamento de água e esgoto, destacando os eventos mais recentes.

O tema pode ser abordado destacando diferentes tópicos, como por exemplo a inversão térmica, o efeito estufa, o smog fotoquímico, o ozônio troposférico e as chuvas ácidas. Todos esses são assuntos cobrados na disciplina de Química Ambiental.

Para ficar por dentro da poluição ambiental e mandar bem na prova, é essencial estudar os diferentes tipos de poluição, pesquisar os principais problemas ambientais e encontrar dados e informações sobre a poluição na sociedade atual.

Radioatividade

Radioatividade

As questões de radioatividade podem envolver tópicos como conceitos fundamentais da radioatividade, transformações nucleares, transformações nucleares (como as reações de fissão e fusão), desintegração radioativa e radioisótopos.

Para ir bem na prova, é preciso entender que somente uma fonte pode ou é capaz de emitir radiação e também ficar atento às vantagens e desvantagens do uso da energia nuclear e também do descarte adequado do lixo atômico.

Inclua em seus estudos a revisão dos conceitos fundamentais de radioatividade, acontecimentos reais envolvendo o assunto e pesquise informações sobre energia e reações nucleares, além de desintegração radioativa. Assim, o sucesso é garantido!

Como fazer um bom cronograma de Química para o Enem?

Um cronograma de estudos eficiente faz toda a diferença para a sua preparação. Na hora de montá-lo, algumas dicas são:

  • nunca priorize as matérias que você julga mais fáceis, mas sim aquelas em que tem mais dificuldade;
  • intercale os conteúdos difíceis com os fáceis, evitando a sobrecarga mental e a estafa na hora de estudar;
  • não deixe de colocar, em seu cronograma, um tempo para relaxar, já que o descanso também é fundamental;
  • separe momentos para a resolução de questões e revisões periódicas dos conteúdos;
  • aos fins de semana, sempre que possível, faça simulados para otimizar a sua preparação.

Saiba mais: Confira um trecho da videoaula sobre Pilhas Eletromagnéticas.

Como estudar Química para o Enem?

Veja, agora, algumas dicas para não errar durante a sua preparação!

Faça muitas questões

O pilar para o aprendizado de qualquer disciplina (seja ela de Exatas ou não) é a resolução frequente e intensa de exercícios. Eles ajudam no aprendizado, na fixação do conteúdo e na revisão dos temas! Mas não se esqueça: aprenda com os seus erros. Se errou, busque uma resolução para entender o porquê.

Revise os conteúdos

A revisão frequente dos conteúdos também é muito importante, já que vamos nos esquecendo dos assuntos pouco a pouco. Faça revisões quinzenais, que depois podem ser espaçadas para a cada um ou dois meses. E não esqueça de focar bastante na base das matérias!

Invista em bons resumos

Uma forma interessante de fazer revisões eficientes é investir em bons resumos ou mapas mentais. Eles são interessantes para a fixação do conteúdo no momento do primeiro contato e ainda para serem utilizados na hora de relembrarmos as matérias. Ou seja: são duplamente úteis!

Faça um cronograma de estudos eficiente

Já falamos sobre ele, mas é sempre bom ressaltar! Um bom cronograma de estudos é aquele que ajuda você não só a ver todas as matérias que são cobradas no Enem, mas também a se organizar melhor e, com isso, procrastinar menos. Por isso, sempre que possível, organize seus horários e as matérias que serão estudadas dia após dia.

Assista a filmes sobre o tema

Sabia que há uma série de filmes para quem gosta de Química ou tem interesse em aprender mais sobre esse tema? Essas obras ajudam a aumentar a sua familiarização com o conteúdo e podem ser muito úteis para ajudá-lo a relembrar conceitos. 

Tenha um bom suporte

Por fim, não deixe de contar com um bom suporte ao longo da sua preparação para o vestibular. A melhor dica que podemos oferecer é: invista em um cursinho de qualidade, como é o caso do Stoodi!

Contamos com centenas de videoaula e milhares de exercícios (com resolução em vídeo), além de professores qualificados, lives frequentes e suporte contínuo, tudo especialmente para você. Sem contar no Plano de Estudos personalizado que também é oferecido na assinatura!

Agora que você já conhece todos esses detalhes sobre a prova de Química no Enem e sabe até como mandar bem nos estudos, não perca tempo! Faça agora mesmo seu cadastro no Stoodi e aproveite todos os benefícios que temos a oferecer!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *